6 de jul de 2010

Quando dormes

Quando dormes ainda sim escuta o canto no recanto. Ainda caminho por pastos verdes e amarelos, plantar e semear, acompanhas as estações da vida. Nem o que foi nem o que será... as escolhas são no Agora. Com um pé à frente não mais no sorriso ingénuo mas no "Sentar" da consciência... nem certo e nem errado somente o Ser e Estar... Todos Re-unidos e comprometidos não importa se é flor ou trigo... Acompanhem...Em toda lágrima há um sorriso!

Amor no seu singelo entendimento.